In Estados Unidos featured Seattle viagem

Um pouco sobre Bellevue.

Na cidade de Bellevue (leia com  a voz do narrador das "Meninas Super Poderosas") mais um dia começa com a Maia que não é super poderosa, tentando entender essa cidade de mentirinha.
Bellevue é um polo empresarial de TI basicamente, então 9 em cada 10 pessoas que trabalham aqui são Engenheiros de Software. A concentração de pessoas de TI aqui é maior do que  ovelhas per capita na Nova Zelândia. Isso faz da cidade um amontoado de prédios comerciais bonitos, restaurantes e shoppings. Isso em se tratando do centro, tá, por que o resto é subúrbio americano de filme sem tirar nem pôr. Casas com gramados em pequenas ruas fechadas, bandeiras, SUVs fora das garagens, essas coisas.
A cidade de Bellevue.

Isso também faz da cidade um lugar bem caro de se viver. Em outras palavras, tem uma galerinha cheia da grana aqui e não é raro coisas como alguém te dar uma carona num Camaro (ok, a carona é rara mas o Camaro não). Como uma boa cidade americana o transporte público é uma meleca (insira aqui um palavrão da sua escolha porque merece); esse lugar não é feito pensando em meros mortais desprovidos de quatro rodas.
Tem Mustang cor de rosa também.

Num geral Bellevue simplesmente não é de verdade. Não da pra ser. A sensação é de estar numa espécie de Show de Truman onde todo mundo é legal demais, polido demais E NÃO É POSSÍVEL QUE NÃO TENHA NADA ERRADO.
A maior parte dos restaurantes fecha às 22h, as ruas são calmas e quietas, o Transit Center (tecla sap: terminal de ônibus) parece coisa de boneca, limpinho, fofinho, arrumadinho, com informações corretas e ônibus no horário (isso quando tem ônibus já que os pontos são poucos, muito afastados e os horários parecem piada).
Transit Center de uma Cidade de Massinha.
Como se não bastasse toda essa utopia, o lugar é arborizado, tem parques arrumadinhos, tudo parece novo e tem COELHINHOS NOS ARBUSTOS. Minha nossa senhora da fofice atômica, eu não to psicologicamente preparada pra ver coelhinhos nos arbustos, eu sou de SP, eu moro na Augusta, a coisa mais fofa que passa por lá é cachorrinho de madame que se perdeu em Higienópolis. Já aqui até rato é fofo e eu não to brincando, vi um rato e ele parecia um amiguinho do Hamtaro.
Oi eu to aqui pra te matar de fofura e comer umas gramas. 


Cadê sujeira, cadê ônibus lotado, cadê pombo? Nem pombo tem aqui (suspeito que seja culpa dos corvos eles parecem bem nutridos demais).
Claro, o raio problematizador bate e é impossível não perceber traços de gentrificação na cidade que virou o polo de empresas como Pokemón, Microsoft e T Mobile (sem contar Facebook, Amazon e Nintendo nas imediações). Mas uma parte de mim acha tudo muito estranho, perfeito demais, fofinho demais. Meu eu paulistana não consegue conceber um lugar onde a mochila de alguém desaparece num shopping com Macbook, passaporte, carteira e o escambau e reaparece 2 dias depois COM. TUDO. DENTRO.  Esse lugar não existe e provavelmente tem câmeras em todos os lados e eu estou sendo transmitida ao vivo pro mundo enquanto dou aquela cheirada no sutiã pra ver se rola usar mais uma vez antes de lavar.


Seattle é mais “cidade de verdade” mas Bellevue é cidade de lego e ninguém consegue me convencer do contrário.
Fico por aqui, na ensolarada (cadê a chuva que falaram que era constante nessa terra?) cidade de Bellevue e caso não os veja mais… bom dia, boa tarde e boa noite.


Ah, também rolam uns Arco - Iris duplos e as vezes triplos.




Related Articles