In featured Irlanda viagem

Primeiras Vezes

Uma das particularidades dessa coluna é que ela será, em geral, uma coluna de memórias. Olhando o arquivo de viagens que tenho na minha mente, e no meu HD, eu me questionava por onde, e porque, começar.

First things First, decidi pela Irlanda.


Agora, a Irlanda não foi minha primeira viagem. Mas escrever em ordem cronológica nunca é uma boa ideia para memórias uma vez que mistura-las é parte do que as torna significativas. E existe uma infinidades de razões para esse ser um bom começo.


Foi a minha primeira viagem sozinha.
Eu provavelmente ainda falarei bastante disso aqui, mas viajar sozinha é uma experiência completamente diferente de viajar com quem quer que seja. Quando se está com alguém, é sempre sobre explorar um novo lugar em boa companhia. Sozinha eu tenho a impressão que é sobre descobrir a si mesma (por mais cliché que isso soe) e descobrir novas perspectivas a partir da exploração de um lugar. Se você nunca viajou sozinha, eu diria que é uma das experiências mais valiosas que você pode ter, tente! Nem que seja aquele fim de semana na praia ou montanha do lado da sua cidade.

Foi a minha primeira viagem internacional.
E a menos que você tenha alguma relação familiar com algum outro país isso faz toda a diferença não apenas pela distância, embora ela seja todo um tópico a se considerar, mas principalmente pelo idioma e pela cultura. Culturas podem ser compartilhadas, é verdade, mas a mudança de governo, de leis, de costumes e da língua de alguma maneira te põe na posição de “outsider”, e essa é uma posição que pode ensinar muita coisa. As variações linguísticas, das mais brandas aquelas totalmente diferentes, nos forçam a repensar as coisas mais simples. Eu sempre me sinto tendo que reaprender a me comunicar quando imersa numa língua diferente da minha, independente do nível de compreensão que tenho dela, e se dizem que você muda de personalidade quando muda de língua, estar imersa num idioma estrangeiro é estar imersa num universo de pensamentos diferentes com infinitas possibilidades de mudar sua personalidade.

Eu escolhi e planejei tudo.
Até então viajar para mim era acompanhar a família em alguma colônia de férias ou casa de conhecido, ou ir com amigos para algum lugar qualquer por um final de semana. Eu nunca realmente tinha parado para escolher um destino, e então ter que planejar como viabiliza-lo. Eu escolhi ir para a Irlanda. Eu sabia que queria um intensivo em inglês, é verdade, mas ainda sim dentre as várias possibilidades eu pesquisei esse país, fiz um orçamento base, procurei por promoções, escolhi acomodação, defini valores de alimentação diária, planejei depósitos mensais direto para uma conta poupança. E pode parecer pouco, ou algo que uma agência pode fazer por você, mas eu acho que construir você mesmo sua viagem é essencial para se apropriar de um lugar e do seu tempo nele.


A Irlanda pode não ter sido minha primeira viagem, mas existem uma infinidades de outras primeiras vezes a serem experimentadas! Essa em particular significou muito para mim pois foi quando eu percebi viajar como um objetivo de vida a se buscar, e não apenas um entretenimento de férias. E foi nisso tudo que senti que seria a primeira de muitas!

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário! :)