In featured reflex

Contemple-se, mulher!










Uma das minhas grandes preocupações e dedicações hoje em dia, trata-se da saúde mental e emocional das mulheres. Entretanto, como sou uma apenas uma mortal e bastante curiosa no assunto, venho aqui hoje compartilhar um segredo valioso, um remédio muito bom e que pode estar à mão de todas nós sem receita médica, farmacêutica ou qualquer uma de suas variantes. Falo sem nenhuma dúvida e/ou possíveis medos, da contemplação (por si mesmas para ser mais exata). Este, talvez, seja um dos melhores preventivos anônimos para que cada uma de nós se mantenha num ciclo de equilíbrio e bem estar com a vida.

Mas o que seria isso?

Contemplar significa nos observar atentamente com admiração e encanto. Significa meditar a cerca de nós, perceber-nos com o maior cuidado, compreender a fundo a nossa essência. E para isto, basta que, todos os dias, durante algum momento de solitude a mulher se permita. Se permita um banho quentinho e demorado, se permita uma automassagem com um hidratante gostoso de sua preferência, se permita uma caminhada por qualquer paisagem agradável ou, saborear um prato ou aquela bebida bacana  sem a menor das culpas. Tanto faz. A relevância aqui é a leveza do momento.

Nesta hora, deve-se respirar com tranquilidade, acolher-se. Deve-se também realçar mentalmente suas qualidades e fazer o impossível parar achar dentro de si o motivo pelo qual se levantar e encarar a rotina. 

Importante: escutar o que o coração diz e venerar sua alma da forma mais sutil.

Muitas podem pensar que estou a incentivar uma síndrome de narciso, contudo, a proposta é de fato, inversa. Narcisos precisam de espelhos. Mulheres precisam de sentidos.

Experimente... Aposte nesse pequeno placebo e devagar acompanhe a súbita melhora das pressões sociais, a redução da auto exigência e o aumento na qualidade do seu tempo.

Simplesmente, contemple-se mulher.




Related Articles